Browsing Tag

manaus

brends

Lugares para visitar em Manaus

9 de novembro de 2017

Que Manaus é uma belezura de cidade todo mundo sabe! Que o calor é insuportável todo mundo tá ligado! Agora, você sabe como se divertir por aqui? Se liga nesse post e já monta o roteiro das férias!

Continue Reading

Como foi EVENTOS

Virada Sustentável 2017

31 de agosto de 2017

Olá Meninos e Meninas! Chegando com aquele papo bem blogueirinha para contar minha experiência com a 3ª Edição da Virada Sustentável em Manaus! Para isso vou precisar apresentar a vocês algumas pessoas que fizeram assim como eu parte dessa história! Seeenta que lá vem história!

A cada ano que se passa a Virada Sustentável se torna ainda mais importante e indispensável no calendário da cidade, e isso para um evento é importante demais! A responsabilidade social aumenta e a procura se torna ainda maior! Conheça mais sobre a VS2017 nesse post!

Continue Reading

BRASIL Divulgação Entrevista manaus Planejamento

Associação de Mulheres que Acordam Despencadas

9 de Março de 2017

A.M.A.D.A.S – Associação de Mulheres que Acordam Despencadas

Evento acontecerá nos dias 18 e 19 de março, com sessões nos horários 19h e 20h, no Teatro Amazonas

O espetáculo é uma sátira ao comportamento das mulheres diante dos padrões de beleza cada vez mais rígidos e angustiantes.

Por meio de um humor histriônico e contagiante, o espetáculo coloca em discussão algumas das questões mais importantes sobre a condição da mulher moderna: o texto enfoca a via crucis de uma mulher que chega à meia-idade pressionada pelas demandas de uma sociedade cada vez mais fútil e superficial.

Continue Reading

brends

Minha história com a Iaí Promoções

18 de Maio de 2015

Sabe aquele trabalho que é um amorzinho? Do tipo que passamos por cima do que for pra superar as barreiras e enfrentar as dificuldades que vem com ele?? Esse é o meu trabalho na Iaí Promoções, uma empresa que promove eventos com excelência e muita dedicação… Vou contar um pouco sobre como foi que cheguei aqui… Comparando com o texto que o Jornal Acrítica publicou em uma reportagem que fizeram em 2014. Yaay!

Continue Reading

brends Resenhas

Resenha do Mês

5 de junho de 2014

Não é fácil apenas falar de um livro de romance, você acaba lendo e relendo cada história maravilhosa, porém hoje vou resenhar um livro divertidíssimo e que explora o tema: LOVE IS IN THE AIR. <3

Continue Reading

Indicações

Indicações do MÊS

2 de Abril de 2014
  • SÉRIE:

ONE TREE HILL

 

One Tree Hill (no Brasil, Lances da Vida) foi uma série de TV criada por Mark Schwahn, exibida entre 23 de setembro de 2003 e 04 de abril de 2012, inicialmente transmitido pela The WB. O canal continuou exibindo o seriado até 3 de maio de 2006, quando foi anunciado que este se juntaria com a UPN e formaria o canal “The CW”, que transmitiu a série da quarta à nona e última temporada.

A série foi filmada em Wilmington, Carolina do Norte, desde a primeira temporada. As locações externas foram gravadas em lugares comuns da cidade, como praças, quadras e ruas. As locações internas também foram gravadas por lá, em estúdios. O episódio piloto foi ao ar em 23 de setembro de 2003 nos Estados Unidos. Nove temporadas foram ao ar, compostas entre 18 e 24 episódios cada. A nona e última temporada foi anunciada em agosto de 2011, com as gravações iniciadas em setembro e finalizadas em novembro. Diferente das outras, a última temporada é conclusiva, com 13 episódios encomendados e transimitidos em sequência, sem a inteferência de hiatos, ato frequente na televisão americana. A série teve um elenco regular que consistiu em cinco membros originais entre a primeira e a sexta temporada. Com a saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton, integraram o elenco: Austin Nichols, Robert Buckley, Shantel VanSanten e Jana Kramer.
Apesar de muito comentada, a série registrou a maior audiência média de apenas 12.3 milhões de telespectadores em sua terceira temporada, índice alto para canais de TV a cabo. Mesmo sem grande audiência e sem prêmios notáveis, a série se manteve por 9 anos na TV americana, com público fiel, e em sua grande maioria, jovem. No fim de sua última temporada, One Tree Hill foi finalizada com um total de 187 episódios.

Em Portugal, a série é exibida pelo canal Sony Entertainment Television. No Brasil, a série é exibida pela FOX, FOX Life e pelo SBT.

ENREDO:

 

A história gira em torno de Lucas Scott (Chad Michael Murray), um jovem de 16 anos que sonha em ser jogador de basquete. Vive com a mãe, Karen Roe (Moira Kelly), e é meio-irmão de Nathan Scott (James Lafferty). Seu pai, Dan (Paul Johansson), nunca o aceitou como filho, deixando-o sob criação total da mãe. Ao ser convidado para se juntar aos Ravens, time de basquete da Tree Hill High, escola onde estuda, Lucas tem de lidar com a pressão do pai e o temperamento forte do irmão Nathan. Além disso, ele se apaixona por Peyton Sawyer (Hilarie Burton), namorada do irmão e cheerleader do time. Para piorar, Brooke Davis (Sophia Bush), melhor amiga de Peyton, se apaixona pelo jovem. Nathan usa Haley (Bethany Joy Galeotti), melhor amiga de Lucas, como alvo para atingir o garoto. Porém, seus planos dão errado, e ele acaba se apaixonando pela moça. Lutando pela aceitação do pai e enfrentando brigas com o irmão, Lucas tem de equilibrar sua vida emocional com o basquete.

Ao longo das temporadas, One Tree Hill ganha alguns saltos no tempo e muda seu foco. A série deixa de ser considerada teen na quinta temporada, quando a temática sobre o basquete e problemas adolescentes diminuem. A medida que os personagens crescem e o tempo passa, a storyline baseia-se em problemas adultos: Emprego, gravidez e relacionamentos frustrados, além de explorar temas polêmicos sobre anorexia, abandono, adoção, drogas e bebida.

Curiosidades

 

  • Chad Michael Murray e Sophia Bush foram casados na vida real. O casamento, que aconteceu em 2005 (durante a terceira temporada da série), durou 5 meses e rumores dizem que o fim foi causado por uma suposta traição de Chad com Paris Hilton.
  • Os rumores não param por aí: Sophia pode ter tido um caso com o colega de trabalho, James Lafferty (Nathan Scott) em 2008.
  • Com a entrada de Austin Nichols na sexta temporada da série, Sophia engatou um novo namoro. Eles estão juntos desde 2009.
  • A saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton nunca foi claramene esclarecida, mas, segundo entrevistas, tudo indica que os dois deixaram o show por razões envolvendo o salário de ambos.
  • Nenhum personagem participou de todos os episódios. Quem chegou mais perto foi Brooke, com 186 episódios (ela não participou do piloto). A Haley vem em segundo lugar, com 184 episódios (ela não participou de alguns episódios da segunda temporada)
  • Falando em Brooke, ela era apenas uma personagem-suporte no início. Mas, a atuação de Sophia Bush não só agradou os produtores, como o público, tornando-a regular a partir do quinto episódio da primeira temporada.
  • One Tree Hill era transmitida inicialmente pelo canal The WB. Mas, após a fusão, foi para a The CW. Foi, também, a única série do antigo canal que foi renovada para o atual.
  • A série sofreu com a baixa audiência após a sexta temporada, lutando para sobreviver. Após a saída de dois dos protagonistas,Lucas e Peyton, a média de 2.5 milhões de expectadores por episódio, baixou para 1.8. Foi decidido, então, que a série teria seu fim na sétima temporada. Porém, após muita campanha (Incluindo Twitter e Facebook), os fãs conseguiram estender o seriado por mais dois anos. A última temporada carrega um dom conclusivo: Tem apenas 13 episódios finais.
  • Bethany Joy Galeotti é uma cantora na vida real também. Ela já lançou alguns EP’s com a amiga Amber Sweeney. As duas formam, juntas, a banda Everly, que toca músicas de gênero pop-folk.
  • Jackson Brundage, que interpreta Jamie (Filho de Haley e Nathan), tinha apenas 7 anos quando teve sua estreia na quinta temporada. O jovem ator já começou como personagem regular.
  • Paul Johansson, Bethany Joy Galeotti, James Lafferty, Sophia Bush e Chad Michael Murray já dirigiram alguns episódios da série.
  • A série, gravada em Wilmington, Carolina do Norte, recebeu uma homenagem ao fim de seu último episódio: Uma rua da cidade foi nomeada de One Tree Hill Way, ou “Rua One Tree Hill”.

OTH mudou minha vida, assistia desde uma adolescente e cresci com as frases e citações que me visitavam em cada episódio, a música do inicio me arrepia sempre que eu canto <3

 

 

  • FILME:  Ponte Para Terabítia

 

Bridge to Terabithia (no Brasil, Ponte para Terabítia; em Portugal, O Segredo de Terabítia)1 2 é um filme americano-neozelandês de fantasia e drama de 2007 dirigido por Gábor Csupó. Foi baseado no romance homônimo de Katherine Paterson e distribuído pela Walt Disney Pictures. O elenco é composto por Josh Hutcherson, AnnaSophia Robb, Robert Patrick, Bailee Madison e Zooey Deschanel. O longa conta a história de Jess Aarons e Leslie Burke, dois vizinhos de dez anos de idade, que, juntos, criam um mundo imaginário chamado Terabítia e passam seu tempo livre em uma casa da árvore abandonada.

O roteirista David Paterson é filho de Katherine Paterson e a história original é baseada em partes da sua infância. Quando ele perguntou à mãe se poderia escrever um roteiro cinematográfico para o romance, ela concordou por conta de sua habilidade como dramaturgo. A produção do filme começou em fevereiro e terminou em novembro de 2006. Grande parte das filmagens ocorreu em Auckland, Nova Zelândia, num período de sessenta dias. A edição levou dez semanas, enquanto a pós-produção, a mixagem e os efeitos visuais demoraram vários meses para serem concluídos.

Bridge to Terabithia recebeu críticas majoritariamente positivas; os críticos chamaram-lhe de uma adaptação fiel ao romance original, encontraram visuais dinâmicos e atuações naturais que consideraram tornar a película ainda mais imaginativa. Foi indicado a sete prêmios, dos quais ganhou cinco Young Artist Awards.

 

 

  • MÚSICA:

BROOKE FRASER

 

Brooke Gabrielle Fraser Ligertwood mais conhecida como Brooke Fraser (nascida em 15 de Dezembro de 1983 em Wellington, Nova Zelandia) é uma cantora de origem da Nova Zelândia. Ela foi integrante do grupo Hillsong United, gravou e tocou com Hillsong Live e atualmente dá assistência à várias igrejas da Hillsong Church. Em sua carreira solo, hoje compõe e grava para seu quarto álbum. Seu terceiro álbum de estúdio Flags se tornou o mais conhecido de sua carreira, com os singles “Something In The Water”, “Betty” e “Coachella” alcançando o primeiro lugar nas rádios neo-zelandeses em 2010.

 

 

 

 

  • LIVRO:

O PRINCÍPIO 4:8

 

Formulamos cerca de 50.000 pensamentos ao dia. Que fazer quando a maioria deles nos coloca pra baixo?

Nossos pensamentos possuem uma incrível capacidade de nos levar para cima ou de nos empurrar ladeira abaixo. Tommy Newberry, um dos principais coaches americanos da atualidade, acredita que devemos concentrar os pensamentos naquilo que nos traz motivação, relacionamentos sadios e satisfação pessoal.

Newberry reconhece que não se trata de um desafio qualquer, e por isso buscou na milenar sabedoria bíblica a fundamentação do pensar positivamente. O objetivo é compreender e utilizar, no dia-a-dia, O princípio 4:8, a fim de deixarmos de ver as coisas com as surradas lentes da negatividade e descobrir que ser feliz é mais simples do que se imagina.

Palestrante tarimbado, há 17 anos Tommy Newberry ensina O princípio 4:8 para pequenas e grandes platéias; mas foi apenas com sua publicação que milhares de novos leitores conheceram o incrível apelo motivacional e sua fundamentação bíblica. Poucas semanas após o lançamento, O princípio 4:8 já despontava na lista dos mais vendidos dos influentes jornais The New York Times e Wall Street Journal.

A receptividade ao livro foi tamanha que a mensagem central da obra se espalhou rapidamente boca a boca: A alegria é uma escolha, e é totalmente previsível. Pelo menos é isso que indica a leitura que Newberry faz do texto bíblico de Filipenses 4:8: A Bíblia possui o mapa do caminho para a felicidade, e ele é muito mais descomplicado do que poderíamos imaginar.

 

 Gostaram? Sugestões: brendstuff@gmail.com
Resenhas

Resenha do MÊS

2 de Abril de 2014

EITA mês lindo… ABRIL <3

A autora do mês é a queridíssima Carina Rissi 😛

 

 

  • Perdida

SINOPSE:

Sofia vive em uma metrópole e está habituada com a modernidade e as facilidades que isso lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor à menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição.

Após comprar um novo celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa.

Com a ajuda do prestativo Ian, Sofia embarca numa procura às cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam levá-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…

  • Procura-se um Marido

SINOPSE:

Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou. Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.

 

  • Um pouco sobre Carina Rissi

 

Carina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração.
Quando se desgruda dos livros – tanto dos que lê quanto dos que escreve –, Carina se diverte assistindo a comédias românticas ao lado da família e planejando viagens a lugares exóticos que não conhecerá tão cedo, devido ao seu pavor de avião.  Ela nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista. Seu primeiro livro, Perdida: um amor que ultrapassa as barreiras do tempo, foi traduzido e publicado na Alemanha, onde entrou para as listas de mais vendidos. Procura-se um marido é seu segundo livro.

 

TWITTER DA AUTORA:

https://twitter.com/Carinarissi

 

FONTE: http://www.carinarissi.com.br/
Sugestões? Brendstuff@gmail.com
Resenhas

Resenha de Março

20 de Março de 2014

E o livro do mês é …

A seleção  #1 – Kiera Cass

Vamos conferir o BOOK TRAILER :

SINOPSE:

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.

Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.

Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

RESENHA:

Antes de contar um pouco do livro vou fornecer informações muito interessantes 😉

Um livro com 511 resenhas no skoob, além de  15653 leram, 9756 vão ler, 442 lendo, 42 relendo, 68 abandonos, e 10539 avaliações.

GENTE, 1 príncipe mais do que lindo e romântico se apaixona a primeira vista por uma ruiva maluca, chorosa e com xingamentos na ponta da língua!

A Seleção” fala sobre America Singer, uma jovem que mora em Illéa, uma versão distópica dos Estados Unidos, seria como um futuro onde o mundo passaria por duas guerras, e os Estados Unidos, após serem dominados pela China, reconquistariam a “liberdade” com um golpe de estado instaurando uma monarquia e um sistema de pirâmide social denominado por 8 castas. Acompanhou? (Fiz pesquisa(wiki) sobre as castas, da uma olhada e me diga em qual você se encontra 🙂 )
  • Casta 1: A nobreza.
  • Casta 2: Celebridades, modelos, atletas profissionais, políticos, atores e oficiais.
  • Casta 3: A elite, educadores, filósofos, inventores, escritores, cientistas, médicos, veterinários, dentistas, arquitetos, bibliotecários, engenheiros, psicólogos, cineastas, produtores musicais, advogados.
  • Casta 4: Fazendeiros, joalheiros, corretores de imóveis e de seguros, chefes de cozinha, mestres de obras, proprietários e donos de restaurantes, lojas e hotéis.
  • Casta 5: Artistas, músicos e dançarinos.
  • Casta 6: Secretários, serventes, governantas, costureiras, balconistas, cozinheiros, motoristas.
  • Casta 7: Jardineiros, pedreiros, lavradores, pessoas que limpam calhas e piscinas, e quase todos os trabalhadores braçais.
  • Casta 8: Pessoas com deficiência (especialmente quando desamparadas), viciados, fugitivos, sem-tetos.
America é da casta de número Cinco, a casta dos artistas e músicos clássicos, apenas a terceira casta acima da casta de número oito onde se encontravam as pessoas mais pobres, e um tanto quanto renegadas, do país.  Esta é uma das razões para que sua mãe insistisse tanto em inscrevê-la na “Seleção”, uma espécie de concurso onde o príncipe as vésperas de assumir o controle do poder pudesse arranjar uma esposa entre as plebeias. Porém, America, tinha razões mais fortes para não querer aceitar ser inscrita, a principal delas era o seu relacionamento secreto com Aspen (HATE ASPEN, SÓ PRA CONSTAR), um número Seis.
O quê a nossa lady America não esperava era que seu namorado insistisse para que ela participasse da Seleção(MELHOR DECISÃO DA VIDA DELE), e terminasse seu relacionamento com ela logo em seguida. Ela nem ao menos esperava que seu nome fosse selecionado para o “concurso” entre milhares de candidatas, e surpreendentemente foi.
Pressão da família, querer escapar do “ex” e uma oportunidade de ganhar um bom dinheiro enquanto participa do programa foram os fatores que fizeram a nossa, não muito ambiciosa garota, arrumar as malas e ir nessa jornada #partiupalacio #comida0800 #tudodebom .
É nesse ponto da estória que somos apresentadas ao Maxon, o príncipe, que mostra ser muito mais do quê o rapaz mimado e frio que nossa protagonista imaginava. Ele realmente tem esperanças de encontrar um verdadeiro amor no meio desse jogo todo, visto que é a única esperança que tem.(AI MEU DELS DO CÉU, TEM COMO FICAR MAIS ROMÂNTICO?)
Eu senti muito que a “sociedade” em si é só pano de fundo, temos ataques de rebeldes, temos um “pão e circo” com “A Seleção” rodando na TV como um “The Bachelor”, e menções sobre as diferenças sociais e o contexto de como o país surgiu..
Concluindo, eu AMEI, a estória faz você dar umas boas risadas com o temperamento, às vezes alucinado, da nossa Cinco. Por ser narrada em primeira pessoa eu senti que faz com que você tome maior partido da protagonista, ficando triste e feliz ao mesmo tempo em que ela, e isso pra mim em um livro é muito bom.

A elite  #2 – Kiera Cass

SINOPSE:

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.

America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.

RESENHA:

Um livro com 211 resenhas no skoob, além de  11715 leram, 6926 vão ler, 373 lendo, 19 relendo, 29 abandonos, e 7624 avaliações.

A “Elite” é o segundo volume da série A Seleção de Kiera Cass. A série é classificada como uma distopia, porém o enredo foca no romance. (Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma “utopia negativa”1 . As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade. Nelas, “caem as cortinas”, e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações.Distopias são frequentemente criadas como avisos ou como sátiras, mostrando as atuais convenções sociais e limites extrapolados ao máximo. Nesse aspecto, diferem fundamentalmente do conceito de utopia, pois as utopias são sistemas sociais idealizados e não têm raízes na nossa sociedade atual, figurando em outra época ou tempo ou após uma grande descontinuidade histórica.)

O ramo distópico deixa a desejar. Nesse segundo volume alguns pontos interessantes são mais explorados, como: os ataques dos rebeldes, o nascimento de Illéa e como a estrutura social foi criada. Mesmo assim, achei fraco para uma distopia.
Os ataques ao castelo, por exemplo, são constantes e pouco convincentes. Como a segurança do rei pode ser tão fraca e despreparada? Faltou força nos argumentos. ORA BOLAS, É UM REINO!! UM CASTELO!! COMO PODEM SER TÃO TROUXAS ASSIM???

America parece desejar que a qualidade de vida do povo melhore, mas não demostra ter pretensões quanto a ser parte integrante de um movimento de libertação. Apesar dos personagens serem atingidos pelos levantes no decorrer da história, estes são apresentados como algo impessoal e distante da realidade que estão vivendo no momento. America me pareceu preocupada demais com o “mundinho” do palácio e da Seleção.

Por outro lado, temos um ponto de vista diferente da maioria das distopias. Aqui, acompanhamos os acontecimentos pelo lado de dentro, ou seja, através da visão dos habitantes do palácio e não do povo. E, sinceramente, apesar da estrutura social ser injusta, não acho o governo tão opressor. Na verdade, considero o rei de Illéa omisso.

Deixando de lado o seguimento distópico, vamos falar do romance… Gente, que burra!! América me irritou com sua indecisão e dúvidas constantes. Não sabe de quem gosta – Maxon ou Aspen – e quando eu pensava que havia se decidido… ela voltava a questionar seus sentimentos. Confesso que perdi a paciência com America.
Maxon é maravilhoso!  Provou ter uma paciência de Jó!!!!!!!!! Porque se fosse comigo, eu tinha mandado América para casa na primeira vacilada da garota… Sem nem pensar na amizade! AFF. Agora, não consigo simpatizar com Aspen. Para mim, ele é desnecessário.

Eu não sabia se abraçava ou dava na cara da América lendo… sinceramente ein?!

Aguardando THE ONE <3 O último da trilogia.

 

Gostou? Sugestões: Brendstuff@gmail.com
brends Indicações

WHATCHLIST OSCAR 2014

3 de Março de 2014

Os filmes mais BAM BAM BAM do ano, você já assistiu todos? A minha lista dos essenciais 🙂

O Lobo de Wall Street

O ator Jonah Hill quase trabalhou de graça para conseguir o papel de Donnie Azoff em O Lobo de Wall Street, de Martin Scorsese. Ele aceitou trabalhar pelo salário mínimo do sindicato de atores.

Em entrevista ao radialista Howard Stern, Jonah Hill revelou que recebeu apenas US$ 60 mil (cerca de R$ 142 mil) pelos sete meses de filmagem e que até pagaria para trabalharia de graça para atuar em um filme de Scorsese.

“Eu venderia minha casa e daria todo o meu dinheiro para trabalhar com Scorsese. Eu faria qualquer coisa no mundo”, disse Jonah Hill, que foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante por seu papel em O Lobo de Wall Street.

Clube de Compras Dallas

Matthew McConaughey perdeu mais de 20 quilos para viver o portador de HIV Ron Woodroof, em Clube de Compras Dallas. E sabe como ele fez para perder tanto peso em pouco tempo? Comeu apenas pudim de tapioca.

“Eu encontrei o pudim de tapioca e achei a menor colher de uma loja de antiguidades em Nova Orleans, uma pequena colher de chá, para que ele pudesse durar mais”, disse o ator. “Eu conseguia fazer o pudim durar uma hora!”

McConaughey contou que estava perdendo mais de 3 quilos por semana com a dieta pesada. “Eu tomava refrigerante diet, comia dois ovos brancos pela manhã, um pedaço de frango e então bebia outro refrigerante”, afirmou em entrevista ao Independent.

Ela

Quem assistiu Ela, de Spike Jonze, deve ter se apaixonado pela trilha sonora, que foi composta por ninguém menos que os caras do Arcade Fire, além de trazer uma música de Karen O (Yeah Yeah Yeahs): a linda The Moon Song, que foi indicada ao Oscar de melhor canção original.

Spike Jonze se junto ao Arcade Fire quando a banda ainda trabalhava no álbum Reflektor (2013) e uma das faixas do CD, Supersymmetry, na verdade havia sido escrita para Ela.

“Win [Butler] e eu começamos a conversar sobre a parceria há dois anos, e parece um pouco que o disco influenciou a trilha sonora, e a trilha sonora influenciou um pouco o disco”, afirmou Spike Jonze ao site Hitfix. “Tem uma música em Reflektor, a última, Supersymmetry, que ele escreveu para o filme, mas então se tornou outra coisa. Na verdade é a última música nos créditos finais.”

Trapaça

O filme Trapaça pode ser considerado o terceiro de uma série de filmes de David O. Russell, juntamente com O Vencedor (2010) e O Lado Bom da Vida (2012). Tanto que o diretor repetiu alguns dos atores em Trapaça: Christian Bale e Amy Adams, de O Vencedor; Bradley Cooper, Jennifer Lawrence e Robert De Niro, de O Lado Bom da Vida.

Outra curiosidade de Trapaça diz respeito aos astros do longa. Christian Bale teve que engordar 18 quilos para o papel de Irving Rosenfeld e Bradley Cooper teve que dormir com bobes no cabelo para interpretar Richie DiMaso.

12 Anos de Escravidão

Baseado em uma história real, 12 Anos de Escravidão, de Steve McQueen, é um dos favoritos ao Oscar de melhor filme.

O longa foi todo filmado na Lousiana, EUA, estado em que a história real aconteceu e o tronco usado nas cenas em que os escravos são linchados, realmente foi usado para tortura, além de ser rodeado por túmulos de escravos assassinados.

12 Anos de Escravidão foi filmado em apenas 35 dias e teve um orçamento considerado baixo para os padrões de Hollywood: R$ 48 milhões.

Gravidade

O universo é hostil. Sem oxigênio, sem som, no vácuo, ele não oferece a menor condição de sobrevivência à vida humana caso esteja fora deste planeta azul chamado Terra. As breves visitas do homem neste ambiente inóspito são sempre repletas de aparatos desenvolvidos para garantir sua existência, por mais que eles em muitos casos estejam longe do confortável. Foi exatamente com este cenário em mente, de desconforto e do risco constante, que o diretor Alfonso Cuarón conceituou Gravidade. Um filme que impressiona pela ousadia, tanto de narrativa quanto estética, sem jamais deixar de lado o clima de tensão.

Capitão Phillips

Richard Phillips (Tom Hanks) é um comandante naval experiente, que aceita trabalhar com uma nova equipe na missão de entregar mercadorias e alimentos para o povo somaliano. Logo no início do trajeto, ele recebe a mensagem de que piratas têm atuado com frequência nos mares por onde devem passar. A situação não demora a se concretizar, quando dois barcos chegam perto do cargueiro, com oito somalianos armados, exigindo todo o dinheiro a bordo. Uma estratégia inicial faz com que os agressores recuem, apenas para retornar no dia seguinte. Embora Phillips utilize todos os procedimentos possíveis para dispersar os inimigos, eles conseguem subir à bordo, ameaçando a vida de todos. Quando pensa ter conseguido negociar com os piratas, o comandante é levado como refém em um pequeno bote. Começa uma longa e tensa negociação entre os sequestradores e os serviços especiais americanos, para tentar salvar o capitão antes que seja tarde.

Philomena

Irlanda, 1952. Philomena Lee (Judi Dench) é uma jovem que tem um filho recém-nascido quando é mandada para um convento. Sem poder levar a criança, ela o dá para adoção. A criança é adotada por um casal americano e some no mundo. Após sair do convento, Philomena começa uma busca pelo seu filho, junto com a ajuda de Martin Sixsmith (Steve Coogan), um jornalista de temperamento forte. Ao viajar para os Estados Unidos, eles descobrem informações incríveis sobre a vida do filho de Philomena e criam um intenso laço de afetividade entre os dois.

Álbum de Família

Barbara (Julia Roberts), Ivy (Julianne Nicholson) e Karen (Juliette Lewis) são três irmãs que são obrigadas a voltar para casa e cuidar da mãe viciada em medicamentos e com câncer (Meryl Streep), após o desaparecimento do pai delas (Sam Shepard). O encontro provoca diversos conflitos e mostra que nenhum segredo estará protegido. Enquanto tenta lidar com a mãe, Barbara ainda terá que conviver com os problemas pessoais, com difíceis relações com o ex-marido (Ewan McGregor) e com a filha adolescente (Abigail Breslin).

Blue Jasmin

Uma mulher rica (Cate Blanchett) perde todo seu dinheiro e é obrigada a morar em São Francisco com sua irmã (Sally Hawkins), em uma casa muito mais modesta. Ela acaba encontrando um homem (Alec Baldwin) na Bay Area que pode resolver seus problemas financeiros, mas antes ela precisa descobrir quem ela é, e precisa aceitar que São Francisco será sua nova casa.

Nebraska

Woody Grant (Bruce Dern) é um homem idoso que acredita ter ganho US$ 1 milhão após receber pelo correio uma propaganda. Decidido a retirar o prêmio, ele resolve ir a pé até a distante cidade de Lincoln, em Nebraska. Percebendo que a teimosia do pai o fará viajar de qualquer jeito, seu filho David (Will Forte) resolve levá-lo de carro. Só que no caminho Woody sofre um acidente e bate com a cabeça, precisando descansar. David decide mudar um pouco os planos, passando o fim de semana na casa de um de seus tios antes de partir para Lincoln. Só que Woody conta a todos sobre a possibilidade de se tornar um milionário, despertando a cobiça não só da família como também de parte dos habitantes da cidade.

 

Frozen – Uma Aventura Congelante

A caçula Anna (Kristen Bell/Gabi Porto) adora sua irmã Elsa (Idina Menzel/Taryn Szpilman), mas um acidente envolvendo os poderes especiais da mais velha, durante a infância, fez com que os pais as mativessem afastadas. Após a morte deles, as duas cresceram isoladas no castelo da família, até o dia em que Elsa deveria assumir o reinado de Arendell. Com o reencontro das duas, um novo acidente acontece e ela decide partir para sempre e se isolar do mundo, deixando todos para trás e provocando o congelamento do reino. É quando Anna decide se aventurar pelas montanhas de gelo para encontrar a irmã e acabar com o frio.

Fim de post com a música que animou o filme animado frozen <3

Sugestões : brenstuff@gmail.com